Conto Ovimbundu

OCISOVIO KO OHOSI
Ocisovio wakapingile Ohombo ya hosi, oco yilicite lo yahe. Pana okuti yacita, Mbambi utyulila ohombo yahe yulume, lo feto yaco.
Yapitilã otembo, ohombo ya Mbimbi yacita olohombo vivali, yimwe yu kai kwenda yimwe yu lume. Wakwata kohombo yukai wayambata kumwe lohombo ina a kapingile, ndomo vasokiyile. Hosi hati:
 – Té wanyiha olohombo vyosi vyacitiwa, momo nda kacakale ohombo yange, ohombo yove nda kayacitile. Mbambi hati:
– Kacitava té tucitumalêla tu kovonga omanu vosi vo vimbo eteke lya kamukwavo Mbambi wasapela la mbewu oco leye okwatiseko okuvangula polondaka vyaco. Omanu vosi veya, kwakamba lika mbewu, eye wasulako. Eci akapitilã hati:
– Ove nye cakukalisako enene?
Eye hati:
– Ndakala lokukwatisako tate okucita.
Ene, helye wamwile ulume ocita? Ulume kacitacita.
Siti oco watumaleli, momo lya hosi ukwete ohonbo yu lume ya cita? Vosi valisandoka momo o hombo yulume kayicitacita.
TRADUÇÃO: O VEADO E O LEÃO
           O Veado possuía uma cabra. Vai à residência do leão e pede:
            – Majestade me empreste o teu bode para fazer criação com a minha cabra. Quando ela tiver parido, eu virei trazer-te o bode com o respetivo pagamento.
           O leão consentiu. Depois de ter ficado coberta, a cabra pariu dois cabritinhos, uma fêmea e um macho. Então logo agarrou no bode e na pequena fêmea e levou-os ao leão. Após ter agradecido muito pelo serviço que lhe prestara.
           – Aqui está o teu bode e também o pagamento, que é esta pequena cabrinha.
           Sem responder aos agradecimentos do veado, o leão pergunta:
           – Só nasceu esta cabrinha?
           Diz o Veado:
           – Nasceram dois, um macho e uma fêmea.
           Onde deixaste o outro cabritinho?
            Um deles, o pequeno macho, ficou para mim, para reprodução. Assim não voltarei a incomodar-te pedindo-te o bode.
            O rei da floresta, quando ouviu tal coisa, ficou zangado e ordenou imediatamente:
           Vai já, já, já procurar o outro cabrito, para mo entregares. Ora já viram? Com que então querias roubar-me. Se o meu bode não tivesse fecundado a tua cabra teria ela porventura cabritos?
           Os dois cabritos são meus, pois foi o meu bode que os gerou. Vai imediatamente buscar o cabrito que falta.
           O lobo ainda tentou protestar:
            – Isso não pode ser majestade. Tu queres roubar-me porque és rei e mais forte? Vamos chamar todos os animais da floresta. Enquanto ia para casa encontrou-se com o cágado e pediu que o fosse defender no julgamento.
            De que assunto se trata?
           – Pedi-lhe um bode e para fazer crias com a minha cabra. Ele quer receber-me todas as crias, dizendo que são todos dele. Porque se não fosse o bode dele a cabra não teria os filhotes.
           Está bem, nos encontraremos amanhã, mas não deixe o julgamento começar antes da minha chegada.
           Todos os animais apareceram. O leão olhou para todos animais e perguntou se já estavam todos. Ele disse que sim mas não podiam começar porque faltava um membro, o cágado. Ficaram cansados ela não chegava, era o mais inteligente ou melhor juiz. Pediu perdão e disse que ficou a assistir o pai que deu a luz. Então a causa deste julgamento não é do bode que teve filhos?
           Todos começaram a espalhar-se dizendo que o macho não dá luz e o veado ganhou a causa ou seja a razão.
Conto ovimbundu/recolha da tradição oral

2 comments on “Conto Ovimbundu

  1. Victor Joaquim Mendes
    19 de Junho de 2018 at 20:25 #

    Quem tudo quer tudo perde.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: