A tradição oral Cokwe

Por: Maria Teresa Neia Muegita

Por tradição, queremos dizer um conjunto de ideias, doutrinas, costumes, práticas, conhecimentos, habilidades, hábitos e atitudes transmitidas de uma geração para os membros de uma comunidade humana. Devido à constante renovação de seus membros, a comunidade humana é como uma realidade em movimento e dinâmica. Assim, a tradição reveste tanto um caráter normativo como funcional.


A normatividade é essencialmente baseada no consentimento ao mesmo tempo coletivo e individual. Faz da tradição uma espécie de acordo coletivo aceite pela maioria, uma referência que permite a um povo para se definir ou distinguir-se dos outros.
A funcionalidade de uma tradição é revelada no seu dinamismo e na sua capacidade de incorporar novas estruturas ou elementos de empréstimo para melhor ( às vezes até mesmo quebrar) certas condições de vida dos membros da comunidade. Assim, a tradição não aparece essencialmente como uma instituição fixa, conservadora, retrógrada e insensível às mudanças, mas como um subsistema mutante e dinâmico da própria vida. Portanto, não deve ser confundida com o passado que transcende e não se opõe à modernidade. Em suma, a tradição é uma parte da história. Ele carrega com ele, apesar de alguma resistência à mudança, as sementes subtis de mudança, de transformação que fazem as pessoas se ajustar a qualquer momento as suas ideias, o seu modo de ser e de fazer.
Quanto a tradição oral, existem várias definições, todas semelhantes, apesar de existirem algumas diferenças. A tradição oral é tida como um conjunto de dados principalmente sob forma oral que uma sociedade julga essencial, conserva e codifica, a fim de facilitar a memorização e assegura a difusão às gerações presentes e vindouras.
Esses dados compõem os conhecimentos e os hábitos e costumes dos domínios tão diversos como a história (genealogias das famílias, alianças); os mitos e os textos sagrados (ritos, preces, fórmulas encantatórias e propiciatórias); as técnicas (arte do ferro, fabrico de jóias, galaria, cestaria); as instituições políticas (regras de sucessão, alianças matrimoniais, apropriação da terra, regras de gestão fundiária, trocas de bens e serviços); as iniciações diversas no quadro de ritos de passagem (circuncisão, excisão, tatuagem); as harmonias musicais, os exercícios linguísticos, as linguagens codificadas.
Esta visão da tradição oral sob este aspeto verbal não deve fazer esquecer a necessidade de pôr em relação as palavras desta tradição com gestos e os objetos que lhes são intrinsecamente legados.
A tradição oral aparece como uma herança que manifesta numerosas dimensões do homem como a razão, a inteligência, a espiritualidade, a sensibilidade e a sua vontade de permanecer no tempo. É neste sentido que Altuna Raul Ruiz de Asua (2006:38) afirma: “Na África negra, a tradição oral não é apenas fonte principal de comunicação cultural. É uma cultura própria e autêntica porque abarca todos os apegos da vida e fixou no tempo as respostas, as interrogações dos homens. Relata e descreve, ensina e discorre a vida”.
Falando do aspeto globalizante da tradição oral, Lilyan Kesteloot (1986:28) nota:
“Não há nenhum ramo da atividade humana que não possui um conjunto de tradições orais que reúne as famílias, as receitas e as experiências do passado”.
Entretanto, pode-se dizer que as sociedades primitivas são orais, isto não significa simplesmente que a vida quotidiana é marcada pela troca graças ao recurso à palavra, tendo em conta que todas as sociedades funcionam desta maneira, mesmo as sociedades ditas de tradição escrita. Elas o são pelo fato da comunicação oral sublinhar a sua especificidade, a inscrever-se no seu ser profundo, na sua memória, nos seus saberes, nas suas condutas, na sua história.
No seio das sociedades orais, a tradição oral assegura a sua própria reprodução, estabelecendo-se numa dupla direção, vertical e horizontal: vertical dos anciãos e do passado ao presente: horizontal entre os membros da sociedade contemporânea numa perspetiva sincrónica.
As canções tradicionais são geralmente associadas às manifestações rituais e às danças. Os cantos são traduzidos numa forma, a canção deixa de ser uma simples performance individual e torna-se uma produção social, um divertimento ou seguimento fundamental do ritual. A canção no universo tradicional, é uma verdadeira manifestação artística.
É nesta associação canção-dança que o povo cokwe, manifesta a sua tristeza, a sua alegria, as suas emoções, as suas esperanças, os seus sentimentos. visto deste ângulo, pode-se dizer que a canção na tradição cokwe assume um papel fundamental na vida social.
As danças rituais são do universo esotérico ou da iniciação. Executadas por profissionais ou iniciados, estas canções traduzem de uma certa forma uma subdivisão social, onde a elite (os iniciados) pertencem à classe superior, tendo em conta o domínio dos conhecimentos que o resto da sociedade ignora.
Mas, ao nível do divertimento, a associação canção-dança é um catalisador da coesão social e da educação dos membros da sociedade:
“constitui, então, a dança uma poderosa fonte de conhecimentos. Cada etapa da história dos povos, bem como as transições dos diferentes regimes sociais em manifestações artísticas onde a dança ocupa um lugar privilegiado. Quer a nível das suas ações motoras quer a nível das diversas formações coreográficas. É possível distinguirem-se os elementos indicadores de estatutos socais, classe política, relações económicas ou mesmas caraterísticas geográficas dos lugares” (Guerra Marques, 2007:5).
De uma maneira geral, a dança constitui um fator da fundamentação da identidade cultural étnica cokwe. É através da dela que se transmitem os valores sociais, religiosos e espirituais. Como momento de partilha de canções e sentimentos, a dança assume um papel de unificação cultural. A execução da dança durante as cerimónias tradicionais facilita a assimilação das mesmas e a realização de convívios sociais.

In “A Canção Festiva e Fúnebre na Cultura Cokwe Análise Temático-Estrutural”, trabalho de fim de curso para a obtenção do grau de licenciada. 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: