A pasta

Um homem vivia sem trabalho, um dia, depois de muito tempo procurar foi admitido ao serviço de uma senhora. Mas ela não lhe dava comida. Quando se lamentava, a senhora perguntava-lhe se não fora ele quem se havia oferecido.

Com a falta de alimentação, a situação agravava-se com o passar dos dias por causa de muito trabalho, morre pouco tempo depois. Na sua crueldade, a patroa desprezou o cadáver.

Um estranho, vendo o corpo abandonado sente piedade por tamanha desventura. Coitado, nem tinha quem o enterrasse!

Ao remove-lo, uma pasta lhe sai da algibeira. Abriu-a com indiferença. Mas, em contraste com a sordidez do morto, encontra dinheiro, bastante dinheiro.

A senhora tem conhecimento do caso, quer a metade da quantia do serviçal era seu. O desconhecido censura-a de sua desumanidade porque desprezava o cadáver se sentia nojo por ele, também devia sentir nojo do seu dinheiro.

Recolha dos textos da Literatura Oral Angolana. Equipa Mwelo Weto.

One comment on “A pasta

  1. Edvaldo Damião
    10 de Fevereiro de 2015 at 22:21 #

    É um rico. Puxa muito pela imaginação.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: