Categoria: Literatura

ENTRE A RAZÃO E A EMOÇÃO, UM SONHADOR

Por: Adilson Gonçalves A literatura, tal como a pintura, a escultura, a dança, a música e afins, representa uma manifestação artística, porém dista-se das outras porque consegue, nas suas mais diferentes formas, uma interacção e constante interpelação com um vasto conjunto de experiências absorvidas pelo ser humano ao longo do seu curriculum vitae. Por isso,

Ler Mais

INTERMUSICALIDADE – UMA ANÁLISE A VOLTA DAS MÚSICAS: “VOLTEI COM ELA E MINHA BÊBADA”

Por: Sérgio Van-Dúnem[1] A arte é transformar ou dar beleza a alguma coisa, do ponto de vista estético, segundo a percepção individual. De acordo com Bohumil Med (1996:9) “a arte, como dizem os antigos, é a revelação do belo conforme o meio de expressão. Dentre as muitas artes que eventualmente existem pelo mundo, a música

Ler Mais

EXÍLIO E MEMÓRIA EM “JESUSALÉM” DE MIA COUTO

Por Domingas Monte[1] Os exilados estão separados das raízes, da terra natal, do passado. Em geral, não têm exércitos ou estados, embora estejam com frequência em busca deles. Portanto, eles sentem uma necessidade urgente de reconstituir as suas vidas rompidas e preferem ver a si mesmos como parte de uma ideologia triunfante ou de um

Ler Mais

“A Canção Kongo e Ovimbundu – Atravessa o Atlântico e navega pelo Tejo e Douro”

Por Luísa Fresta Lisboa, 25-04-19 Nesta obra faz-se um estudo centrado em duas etnias em Angola, os Ovimbundu e os Bakongo, e perdoem-me qualquer imprecisão que a autora fará o favor de corrigir. São etnias que abrangem regiões diferentes de Angola e que no seu conjunto englobam cerca de 50% da população pelo que o

Ler Mais

A POLÍTICA DE NETO: Afirmação da construção de um Estado (Análise Literária do Discurso da Proclamação da República Popular de Angola – 11/11/1975)

Por: Isaac Jorge, Joaquim Caundo e Rosa Camolaquenda[1] INTRODUÇÃO A certos homens é-lhes incumbido não só o direito, como o dever passivo de velarem pelo bem comum, intrínseco a cada um de nós, desempenhando diversas funções para alcançarem tal fim. Como estipulou Maquiavel, “Tempos de guerra necessitam medidas extremas”, e estes momentos também requerem inevitavelmente

Ler Mais

DELÍRIOS, O DIVÃ DO POETA DO RIO KWANZA: UMA TENTATIVA DE PSICOLEITURA

Por: Adilson Gonçalves[i] «O que à pobre mente ocorre, vejo se a boca discorre e se, alfim, da luta esqueço o mundo e as suas misérias; eis surgem ideias sérias, quero falar… e emudeço!»  Cordeiro da Mata in Delírios As circunstâncias latentes da abordagem a que nos propusemos fazer, coincidem conceptualmente com o poema «Fisionomia»

Ler Mais
Imagem

CURSO DE LEITURA EM VOZ ALTA

48373709_517759512055842_147368939335188480_n

A POÉTICA DE NETO: EM BUSCA DE UMA IDENTIDADE CULTURAL ANGOLANA

Por: Domingas Monte INTRODUÇÃO O contexto da criação poética de Agostinho Neto é de alienação identitária, cultural, económica e política, ou seja, o da colonização, imposta pelo expansionista português, daí a necessidade de um despertar para reivindicar os direitos autóctones e libertar, num primeiro plano as mentes alienadas e escravizadas; e num segundo plano lutar

Ler Mais

A PERSONALIDADE DO KUDURO

Por Isaac Hossi “A música é a alma do universo, sem ela o universo não teria passado de apenas uma explosão, ela traz harmonia ao caos.” Uma pergunta que me faço frequentemente é “o que será que faz as pessoas dançarem tanto ao ouvir “cinco” ou “seis” palavras repetidas sob o fundo de uma batida

Ler Mais

A Imagem da Mulher (zungueira) na Música “Zungueira” do grupo Elenco da Paz

Por Caetano de Sousa João Cambambe A música (no caso concreto do kuduro), para além de ser uma arte, é – na nossa forma de ver – um instrumento de intervenção social muito poderoso. Por intermédio dela – ou dele –, muitos são (ou foram) os “mudos” que ganharam “voz” e hoje têm toda a

Ler Mais
%d bloggers like this: