Etiqueta: António Jacinto

PROMETEU (CANTO INTERIOR DE UMA NOITE FANTÁSTICA)

Sereno, mas resoluto aqui estou – Eu mesmo – gritando desvairado que há um fim por que luto e me impede de passar ao outro lado.