Etiqueta: kudurista angolana

REALIZA-SE EM LUANDA COLÓQUIO SOBRE KUDURO

A Associação Mwelo Weto em parceria com a Mediateca de Luanda, realiza nos dias 28 e 29 de Março o colóquio sobre kuduro, sob oblema: “a hora e a vez do kuduro: um olhar científico”. PARTICIPEMOS!

Kuduro: vanguarda versus ecletismo

Por Estêvão Ludi A liberdade estética, como produto da Vanguarda e do distanciamento do purismo para evidenciar o ecletismo, marcou o ambiente do som e do ritmo da década de 90. Com influências, talvez, de uma dança nascida nas ruas dos Estados Unidos da América, denominada break-dance, uma dança marcada pela coreografia de talento individual.

Ler Mais

A PERSONALIDADE DO KUDURO

Por Isaac Hossi “A música é a alma do universo, sem ela o universo não teria passado de apenas uma explosão, ela traz harmonia ao caos.” Uma pergunta que me faço frequentemente é “o que será que faz as pessoas dançarem tanto ao ouvir “cinco” ou “seis” palavras repetidas sob o fundo de uma batida

Ler Mais

A Imagem da Mulher (zungueira) na Música “Zungueira” do grupo Elenco da Paz

Por Caetano de Sousa João Cambambe A música (no caso concreto do kuduro), para além de ser uma arte, é – na nossa forma de ver – um instrumento de intervenção social muito poderoso. Por intermédio dela – ou dele –, muitos são (ou foram) os “mudos” que ganharam “voz” e hoje têm toda a

Ler Mais

O RANGEL E O KUDURO

Por: Eronilde Bartolomeu Rangel, outrora município e agora distrito que constitui a área urbana da cidade de Luanda, capital de Angola, actualmente tem 6,2 km² e cerca de 260 mil habitantes. Limita-se a Oeste com o município da Ingombota, a Norte com o município do Sambizanga, a Este com o município do Cazenga e a

Ler Mais

Kuduro: Um breve olhar

Por: Sérgio Van-dúnem O kuduro é, sem dúvidas, o estilo mais angolano que existe. E é por este motivo que se tornou no ópio que corre nas veias de todo o povo Angolano. É incrível a forma como ele toca nas almas das pessoas (crianças, jovens e senhores) com um simples toque das músicas “lhe

Ler Mais

Ascensão de Orguita: Madoísmo, Revolução ou Badismo?

Badi Orguita, a mãe de todas as kuduristas, como ela mesma diz, é a nova sensação do mundo artístico em Angola. Surgiu do gueto, como grande parte dos kuduristas, e vem se afirmando no mercado nacional, com o seu “Vou te arcarcar”, que já faz furor nas pistas de dança.  O fenómeno despontou do “Rangu”

Ler Mais

Dama S – A kudurista de Mbanza Kongo

Suzana Lubondo Vieira mais conhecida por Dama S, estudante de 18 anos de idade, é de momento o nome mais sonante das vozes femininas do kuduro na província do Zaíre mas concretamente no município de Mbanza Kongo. A jovem foi uma das atrações das festas da cidade este ano, atuando ao lado de grandes nomes

Ler Mais