Etiqueta: Poesia de Cordeiro da Mata

Nunca Amei

I Se minha boca um dia acaso proferiu juras de “eterno amor” foi engano… mentiu! Porque jamais o fogo que o coração inunda. arreigou em meu peito uma paixão Se foi d´ebriedade a hora em que brilhou, só fulgiu um instante e logo se apagou!… Foram puras quimeras que esta mente doidaram, sonhos dum momento,

Ler Mais

PROGRAMAÇÃO DO COLÓQUIO CORDEIRO DA MATTA

ASSOCIAÇÃO MWELO WETO – NOSSO PORTAL COLÓQUIO CORDEIRO DA MATA PROGRAMAÇÃO

NUNCA AMEI

I Se minha boca um dia acaso proferiu juras de “eterno amor” foi engano… mentiu! porque jamais o fogo que o coração inunda, arreigou em meu peito uma paixão profunda.

COLÓQUIO CORDEIRO DA MATA

A ASSOCIAÇÃO MWELO WETO REALIZA NA FACULDADE DE LETRAS O COLÓQUIO CORDEIRO DA MATA Com o lema “promovendo poesia, por uma sociedade mais culta” – O COLÓQUIO acontecerá de 24 a 26 de Outubro na Faculdade de Letras da Universidade Agostinho Neto e destina-se a estudantes, docentes, investigadores e demais interessados. O projecto tem como

Ler Mais

MÃE

Que doce e eterno não é, o doce nome de mãe!… Em sua letras se lê tudo o que fé viva tem!…

SÚPLICA

Mulher formosa, de celeste encanto, meu bem, meu anjo, minha querida; deixa-me um beijo em teus lábios depor, se queres, virgem, animar-me a vida.